Maiores bancos do Brasil – Ações às Empresas pelo cenário econômico pandemia Covid-19

Por Lucas Martins Claro

A pandemia do novo coronavírus (SARS-CoV-2) fez com que os governos de todo mundo tomassem medidas de urgência, necessárias para conter a propagação do vírus. As medidas adotadas, como o fechamento do comércio, indústrias não essenciais, entre outras, acabam sim por gerar prejuízos de ordem financeira a população, tanto às empresas como aos trabalhadores.

Para evitar um prejuízo econômico ainda maior,  instituições financeiras tem tomado medidas, a fim de evitar o endividamento generalizado. As maiores instituições financeiras do Brasil (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú, Unibanco e Santander), em movimento coordenado pela Federação Brasileira de Bancos – FEBRABAN, anunciaram ações que visam o enfrentamento desta eventual crise financeira gerada pela pandemia.

Tais bancos anunciaram que atenderão pedidos de prorrogação do vencimento de dividas por até 60 (sessenta) dias, válido somente para pessoas físicas e micro e pequenas empresas. A prorrogação do vencimento de débitos restringe-se a contratos de crédito, ou seja, empréstimos, financiamentos e renegociações de dívidas, por exemplo, de modo que não se estendem as dívidas no cartão de crédito e cheque especial.

O prazo para prorrogação das dívidas é de no máximo 60 (sessenta) dias, não se estendendo para período superior. Ainda, a prorrogação anunciada não é automática, deve o cliente solicita-la junto a seu banco, sendo que o procedimento pode variar de acordo com a instituição financeira, fazendo-se necessário contatar o banco para mais informações.

Outras instituições financeiras devem tomar medidas equivalentes, nos próximos dias. Foi o que fizeram a Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil. A Caixa anunciou concessões para micro e pequenas empresas, pessoas físicas, Santas Casas. Com linhas de créditos especiais, redução de juros e período de carência em algumas modalidades de crédito, inclusive, possibilitou a suspensão de contratos habitacionais, também pelo prazo não superior a 60 (sessenta) dias.

Já o Banco do Brasil ampliará sua linha de crédito em R$ 100 bilhões, a fim de beneficiar pessoas físicas, jurídicas, produtores rurais, estados e municípios, em diversas modalidades de crédito.

Portanto, tem-se que as instituições financeiras estão preocupadas com a situação econômica das empresas e da pessoa física, durante esse período de pandemia enfrentado por todo o mundo.

Por fim, destacamos que, contudo, faz-se necessário que aqueles que necessitem de crédito e/ou prorrogação no pagamento de seus débitos, procurem sua instituição financeira para verificar todas as possibilidades de acordo com seu perfil e contem com o apoio de seus advogados e contadores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *